segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Biquini Cavadão e Plebe Rude em Caruaru: rock entre sertanejo e vaquejada

Caruaru Rock Festival 2011
Local: Espaço Cultural Tancredo Neves
Cidade: Caruaru - PE
Hora: 22h
Atrações: Plebe Rude e Biquini Cavadão
Final de semana concorrido: entre eventos de sertanejo em Caruaru e de axé/forró em Bezerros, um show de rock com casa cheia foi melhor do que se podia imaginar.
Definitivamente o Espaço Cultural não é o local mais adequado para eventos musicais: possui teto baixo, o que prejudica a iluminação; possio pilastras de sustentação centrais, o que é terrível para o público que fica com a vista do palco seriamente prejudicada; como era uma antiga fábrica, não tem acústica adequada para esse fim; os banheiros são químicos e a localização não é boa; o serviço de bar é improvisado e precário; o estacionamento é amplo, mas o preço do mesmo em relação aos ingressos é abusivo. Em suma: deve-se pensar seriamente em outro espaço urgentemente.
Como já era de se esperar em show no Brasil, o evento começou com atraso. A banda de abertura não somou quanto ao repertório, mas, incrivelmente, se saiu muito bem em relação ao tato com a platéia, pois o repertório desconhecido e longo de ska não ajudava em nada.
A PLEBE RUDE entrou no palco com um grande desafio: público formado fortemente por uma geração que desconhecia o histórico da banda e a falta de hits radiofônicos no repertório. Mas o que faltava foi suprido com energia e carisma. Destaque para a guitarra absurdamente alta do vocalista, a participação no line up de Clemente (Inocentes) e a caminhada pelo público do front man Felipe Seabra. Adorei o show e cantei bastante, já que conheço a banda desde os anos 80 e já os vi ao vivo algumas vezes antes dessa.
O BIQUINI CAVADÃO deu as caras com o público ganho e com um repertório repleto de hits na manga, assim, mesmo as músicas desconhecidas não diminuiram a temperatura do local. Destaque para a energia contagiante do vocalista Bruno Golveia que não parava de ativar o público subindo na estrutura da iluminação, surfando sobre o público e trazendo fãs ao palco. Mesmo a tentativa de furto de seu tênis em meio à turba apaixonada foi contornada com maestria. Amei o show, assim como todos os outros que já vi da banda, sempre completa e entregue ao som poderoso que produz.
Retornei às 4h da manhã com satisfação plena de ter curtido muito bom rock n roll!

Um comentário:

  1. Muito boa sua analise do evento, e concordo a primeira banda é horrivel e sinceramente um insulto ao ska, muito bom Pablo. (Bôsco-Caruaru-PE)

    ResponderExcluir