sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

T.P.E. - As idéias de Estado e de Direito e sua função nas teorias da modernidade

A modernidade discursa no sentido de que gênese das idéias de Estado e de Direito é jurídica.
Esse pensamento remonta aos ideais contratualistas que tematizam a saída do homem da fase pré-estatal à fase estatal por meio de um pacto coletivo que entrega ao poder político central toda a liberdade individual e este a devolve limitada pela idéia de garantias (direitos) e obrigações (deveres).
Assim, a carta jurídico-política máxima (Constituição Federal) delinearia, pela vontade popular, o modelo de Estado e de Direito que esse povo desejara para si.

O problema é que essa visão romantizada não encontra comprovação empírica, ou seja, os relatos históricos descrevem antes uma gênese política para o que entendemos por Estado e por Direito.
Dessa forma, parte da população que detém os poderes intelectual, econômico e bélico sobrebõe os seus interesses aos interesses dos demais e modelam o Estado e o Direito sob a forma do Poder Constituinte Originário.

Em suas funções, a teoria política contratualista e a teoria jurídica positivista da modernidade se articulam para promover a ocultação da gênese política do Estado e do Direito com o discuros de uma gênese jurídica, possibilitando a forma mais econômica de dominação, aquela que se exerce sobre mentes e não sobre corpos.

Referências

FERRAZ Jr., Tércio Sampaio. Introdução ao estudo do direito. São Paulo: Atlas, 2005.

FLEINER-GERSTER, Thomas. Teoria Geral do Estado. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

KELSEN, Hans. Teoria Pura do Direito. São Paulo: Martins Fontes. 2007.

REALE, Miguel. Teoria tridimensional do Direito. São Paulo: Saraiva, 2003.




3 comentários:

  1. Não é minha práia não, mas muito interessante esse tema!
    Jonathan Richard

    ResponderExcluir
  2. Há tempos que não lia vossos comentários, saudades de vossas aulas na ASCES.
    Um abração, Marcos José, 7º Noturno "2".

    ResponderExcluir