quinta-feira, 1 de julho de 2010

Saramago e Epicuro: aproximações

O escritor português José Saramago morreu aos 87 anos no dia 18 de Junho de 2010 em decorrência de debilidade respiratória causada pela leucemia.

Sua obra inclui dois clássicos da literatura contemporânea: "O evangelho segundo Jesus Cristo" e "Ensaio sobre a cegueira". Sua produção literária lhe valeu dois importantes prêmios: o "Prêmio Camões" (nacional) em 1995  e o "Nobel de Literatura (internacional) em 1998.

Seu estilo foi marcado pelos longos capítulos e pela pouca pontuação. Unindo a crônica com a crítica social tornou-se referência obrigatória para os amantes das letras portuguesas.

Cético tornou-se ateu, descrente tornou-se pessimista, desencantado filiou-se ao comunismo político. Algumas passagens de seu discurso são exemplares dessas opções pessoais:

Saramago Cético: "Mesmo que a rota da minha vida me conduza a uma estrela, nem por isso fui dispensado de percorrer os caminhos do mundo";

Saramago Ateu: "Não sou um ateu total, todos os dias tento encontrar um sinal de Deus, mas infelizmente não o encontro";

Saramago pessimista: "Estamos afundados na merda do mundo e não se pode ser otimista. O otimista, ou é estúpido, ou insensível ou milionário";

Saramago comunista: "A carne é fraca e os políticos são feitos de carne. No momento em que o cidadão renuncia a intervir na vida política do país, o poder real escapa-lhe das mãos".

Mas o que pouco se notou foi o Saramago aproximado de Epicuro, mais uma vez passagens dos discursos desses dois escritores pode demonstrar essa proximidade:
Epicuro: "A morte é o fim de todas as sensações, pois quando existimos, não há morte, e, quando a morte chega, não mais existimos".

Saramago: "não temo a morte, pois se sou, ela ainda não é, e quando ela for, não serei mais".

Para Epicuro de Samos (341 - 269 a.C.), a felicidade adviria de um prazer sabiamente administrado, pois aquele que mostra-se capaz de ter domínio racional sobre as emoções conquista a quietude da mente.

Saramago deixou serenamente a morte chegar, assim como deixou serenamente de ser, demonstrando assim sua verve epicurista.










Para saber mais:

http://www.livrariacultura.com.br/scripts/cultura/busca/busca.asp?palavra=saramago+biografia&tipo_pesq=titulo&sid=77813321112627384472413439&k5=36239363&uid=&limpa=0&parceiro=TIIIXE&x=29&y=10

http://www.mundodosfilosofos.com.br/epicurismo.htm




2 comentários:

  1. Parabéns pelo precioso texto sobre o grande Mestre Saramago e suas diversas facetas!
    Ele não era apenas um, era vários ao mesmo tempo!
    Abraço! Lu Andrade

    ResponderExcluir