segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

teses e fatos são relatos discursivos


Todos os meus amigos sabem do meu apreço por documentários. Devido ao cronograma apertado do semestre acadêmico, sempre utilizo as curtas férias para apreciar alguns documentários que me chamam a atenção. Fazia isso por meio da locação de DVD's, contudo descobri que o YOUTUBE disponibiliza muitos mais ítens e facilita uma triagem daqueles que nos interessam dos demais.

Hoje tive a oportunidade de compartilhar com minha namorada, Lu Almeida, a audiência do documentário americano intitulado "uma verdade inconveniente", uma produção de 2006, dirigida e roteirizada por Davis Guggenheim e protagonizada pelo Ex-vice presidente dos EUA, Al Gore.

Devido a uma das famosas viroses que acomentem milhares de brasileiros após festejos nacionais, tivemos tempo de sobra para observar e debater acerca do conteúdo da película, já que tanto eu como ela nos interessamos pelas questões ambientais, parte de minhas pesquisas jurídicas e parte das pesquisas contábeis dela.

O que chamou mas a atenção de Lu Almeida foram os dados apresentados pelo protagonista como suporte ao seu discurso, os números eram projetados em uma gigantesca tela de LCD, o que impactava sobre maneira o auditório referente. Esse aspécto em especial chamou minha atenção, devido as minhas pesquisas retóricas.

Em uma dado momento da projeção, Al Gore defende-se contra a mídia e demais políticos anti-ambientalistas descrevendo uma estratégia retórica que "transforma fatos em teses".

Pois bem, isso é retoricamente muito importante, pois fatos, usados enquanto suporte ou justificativas para teses, são para os retóricos relatos discursivos, mas a preocupação do protagonista tem sua relevância quanto ao efeito suscitado no auditório referente.

Veja bem, se apresento uma tese de que "todos os patos voam" e justifico a mesma com dados colhidos durante anos de pesquisa por meio de gráficos que demonstram que "todos os patos analizados realmente voavam" isso fortalece meu relato discursivo perante meu auditório referente.

Em termos de razoabilidade isso não indica que "é verdade" que a tese "todos os patos voam" está justificada e provada para todo o sempre pelos dados de fato apresentados no sentido de que "todos os patos analizados realmente voavam", mas tão somente que aparenta ser razoável aceitar probabilisticamente tal hipótese como tese até que ela venha a ser falseada por novos dados de fato em sentido contrário, afirmando que "ao menos um dos patos analizados realmente não voava",

Caso tão somente apresentasse a tese "todos os patos voam", abriria espaço para uma postura cética qustionadora no seguinte sentido: será? quais são as provas, evidências, fatos que corroboram tal afirmativa?

O que Al Gore denuncia na película é que, tanto a mídia, quanto os políticos anti-ambientalistas, lançam uma onda de relatos de descrédito aos dados apresentados pelos ambientalistas enquanto amparados em fatos, fazendo com que percam efeito persuasivo sobre o auditório referente, restando para esse tão só o relato discursivo da tese "o planeta está aquecendo e os responsáveis somos nós", o que resulta em uma postura cética questionadora do tipo: "será isso verdade?"

Resumo da ópera: teses e fatos são relatos discursivos, contudo seus efeitos persuasivos perante o auditório referente de enunciação variam e tal variação é de sumo interesse retórico.

Recomendamos o documentário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário