sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Diário de bordo 18: Salão do automóvel 5











Olha as máquinas da fórmula 1 que estavam por lá. Demais saber que eram as mesmas que estavam na pista de Interlagos no domingo quando cheguei de Recife.

Diário de bordo 17: Salão do automóvel 4


Parada 3: Stand da Jeep.
Nessa deu pra conferir essa máquina de perto, Grande e com muito espaço e visobilidade.
Deve ser uma maravilha pilotar uma dessas por aí.

Diário de bordo 16: Salão do automóvel 3

Segunda parada: BMW. Olha essa máquina conversível?
Não podia entrar, então só fiz pose de mais novo dono kkkkkkk
O mais interessante é saber que tem gente que pode mandar embrulhar uma dessas pra presente.
Tinha muito estrangeiro lá e brasileiros de todas as partes do país, todos maravilhados nesse parque de diversões para tão poucos.
Muita grana está em jogo num evento como esse.

Diário de bordo 15: Salão do automóvel 2




Primeira parada: stand da Mercedez. Olha a flecha de prata aí do lado. Entrei nela e parece um sonho, o banco abraça vc e tudo parece ser feito sob medida. Imagina quem pode ter uma dessas? Já que não posso, registrei a foto kkkkkkkkkk

Diário de bordo 14: Salão do automóvel 1

Terminado o congresso, hora de aproveitar Sampa, Primeiro passeio: Salão do automóvel. Caramba, eu, o Helder (baixista da THORN) e a Márcia (amiga paulista) pegamos um trânsito daqueles, parecia que não íamos chegar nunca, mas conseguimos.
Primeira má notícia: R$ 20,00 de estacionamento. Os paulistas chamam de taxa, mas isso para um pernambucano como eu tem outro nome: assalto!
Segunda má notícia: R$ 30,00 de entrada para todo mundo, inclusive estudantes, pode?
Depois dessas, só coisa boa. O salão estava muito legal, várias novidades. Tirando o calor, estava perfeito.

Diário de bordo 13: PUC - SP

Fomos orientados a não levar câmera e notebook para o evento, pois houve informação de roubo nas proximidades da PUC.

As apresentações foram muito boas, em especial as palestras principais, a maioria em inglês, mas com apoio de um ótimo sistema de tradução simultânea com disponibilidade de alguns fones sem fio. Nota 10 para a organização.


Algumas palestras merecem destaque:


Na terça à noite, a do professor alemão Helmut Pape, da Bamberg University, sobre a base lógica do pragmatismo de Peirce;


Na quarta à noite, a do professor americano James Liszka, da Alaska Anchorage University, sobre a revisitação da teoria pragmática do significado;


Na quinta à noite, a do professor americano Martin Colemam, da Indiana University, sobre o filósofo George Santayana.


Valeu muito a pena ter vindo. Esperamos voltar em breve!


terça-feira, 4 de novembro de 2008

Diário de bordo 12: PUC-SP


Curiosidades no caminho de volta pra casa:
3. Trânsito e céu escuro, não de chuva, mas de poluição;
2. Entrada de Guarulhos;
1. Carro de cachorro quente com o apilídio da minha mãe, Luiza Falcão, "bibi", tive de registrar! kkK











Diário de bordo 11: PUC-SP

Ao fim das apresentações, compostas ainda pela comunicação do Prof. Frederic R. Kellog da George Washington University (USA), entre generalismo legal e particularismo legal, com contudente cridica ao Moralismo Jurídico de Dworkin e daquela efetuada pelo Prof. Josué Silva da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), sobre Ética e Factibilidade em Aristóteles e Kant, juntamo-nos para registrar a presença do grupo pernambucano com a sensação de dever cumprido.



Creio que esse foi o segundo grande passo para a criação do Instituto Pernambucano de Estudos Pragmatistas sobre o Direito, segundo às contribuições do pensamento do Prof. Dr. George Browne com o apoio do Prof. Dr. Frederic R. Kellog. Essa parceria entre Brasil e Estados Unidos vem sendo concretizada passo a passo, sendo esse mais um bom exemplo.

Diário de bordo 10: PUC-SP

A dupla pernambucana tratou da leitura do processo jurídico decisional por meio da categoria de abdução de C.S. Peirce. A Profa. Lorena Freitas pontuou a fragilidade da explicação do mesmo processo pelo método subsuntivo da Dogmática Jurídica de matiz positivista, enquanto o Prof. Enoque Feitosa trabalhou com a categoria perciana pugnando por sua utilização jurídica.

Ambos demonstram o quão frutífera vem sendo a pesquisa do PPGD/UFPE sobre a relação entre Pragmatismo e Direito. Os elogios à qualidade de nossas comunicações pelos professores paulistas serviram de combustível para mais estudos, produção e vindas à cidade de São Paulo para contatos acadêmicos entre seus centros de estudo e pesquisa.

Diário de bordo 9: PUC-SP
















Com a falta da Prof. Tarciana Beltrão, muito sentida por todos nós, eu seria o primeiro a ser chamado para abrir a Sessão de Conferências 3 no 11 Encontro Internacional sobre Pragmatismo.

Recepcionado pelo presidente da mesa, agradecemos à organização do evento e nos identificamos em nome da ASCES/Faculdade de Direito de Caruaru e do Grupo de Pesquisas sobre Pragmatismo e Direito do PPGD/UFPE.


Nossa fala tinha o título do artigo A REVOLTA DOS CORCÉIS CONTRA O COMANDO DO COCHEIRO PARA SEGUIREM PELA ESTRADA QUE INEXISTE: uma visão pragmatista sobre a tentativa infrutífera de controle racional da linguagem no discurso jurídico moderno, composto por 6 laudas, lidas pausadamente para que o serviço de tradução simultânea pudesse vertê-lo para o inglês.


O resultado foi muito positivo. Escutamos a palestra do Prof. Altair Fávero da Universidade de Passo Fundo (UPF) sobre o neopragmatismo de Richard Rorty, aguardando a participação dos companheiros de doutoramento, a Profa. Lorena Freitas e o Prof. Enoque Feitosa.

Diário de bordo 8: PUC-SP



A PUCA tem formato de teatro de arena, um círculo central cercado por sete fileiras de cadeiras distribuídas em círculos concêntricos com alturas variadas. Acima delas sistema de iluminação e som. Logo pensei: caramba, podíamos tocar aqui com a THORN. O Helder (baixista), que estava com a missão de evitar que eu ficasse perdido em sampa, concordou prontamente, pois o local tem o ambiente introspectivo que funcionaria bem com nosso som, em especial com as músicas de nosso novo CD, já em fase de produção.


Mas o motivo aqui era outro, sentamos e esperamos o início dos trabalhos, sob a direção do Prof. Dr. George Browne, mentor dos estudos pragmatistas no PPGD/UFPE. Seu esforço intelectual vem propagando as reflecções acerca da relação entre Pragmatismo e Direito desde a década de 80, com resultados relevantes.

Diário de bordo 7: PUC-SP

Cheguei a arena da PUC-SP, conhecida como PUCA, hoje denominada de PUCARENA, local histórico pelas atuações libertárias no período ditatorial de nosso país.



Precisava ainda efetuar meu cadastramento, mais parei para registrar a identificação e os pórticos da entrada.

Diário de bordo 6: PUC-SP

Entrada da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Interessante notar que uma das mais tradicionais e competentes IES do Brasil não possui nenhuma indicação com seu nome, apenas o portão e nada mais.

Meu orientador do mestrado, Dr. Torquato Castro Jr., doutorou-se aqui. Isso indicava mais responsabilidade em minha apresentação. Como ainda faltava meu cadastramento, segui para o local do evento.

domingo, 2 de novembro de 2008

Diário de bordo 5: Recife / São Paulo 02/11/2008

Chegando em Guarulhos/SP por volta das 12:40h ainda restava uns 20 minutos nessa filinha que vocês estão vendo.
Aí, demorou, demorou, demorou ... demorou mais um pouquinho ... e ... então ... chegou! kkk
Tava com tanta fome que nem registrei a Márcia e o Helder que foram minha recepção no aeroporto. Sorry, friends!

Diário de bordo 4: Recife / São Paulo 02/11/2008

Li a revista por um bom tempo até olhar pela escotilha e ver um visual alucinante: uma cadeia de picos submarinos rasos (atóis), logo mais saberia pelo áudio que vinha da cabine que se tratava do litoral baiano. Obviamente registrei a bela vista.

Diário de bordo 3: Recife / São Paulo 02/11/2008

O comandante avisou: estamos esperando abastecer os porões da aeronave. Pensei, deve demorar um pouco, ledo engano, demorou pacas, quase 30 minutos e nada, até que veio a liberação da pista.
Decolamos e logo avistei o belo litoral pernambucano de um ângulo privilegiado, aí está à prova, não há stress que resista, não é mesmo?

Diário de bordo 2: Recife / São Paulo 02/11/08

Um pouco depois escuto a chamada de embarque, eram 07:35h, dirigi-me à aeronave e verifiquei que estava do lado esquerdo, o que significava que teria o oceano atlântico como vista.
Contudo, enquanto estávamos em terra a vista essa aí do lado: metade asa, metade pista, registrei só para poder postar aqui. kkk

Diário de bordo 1: Recife / São Paulo 02/11/08

Toda época de horário de verão é a mesma coisa, como o Sudeste está sob novo horário, nunca sabemos se os horários que recebemos de empresas nacionais estão convertidos ou não e assim tive de acordar as 05:00h e cheguei ao Aeroporto dos Guararapes em Recife/PE por volta das 06:00h e logo percebi que o horário já estava convertido, ou seja, cheguei cedo demais.

Esperei como de costume ao som do MP3 até que lembrei que quatro horas de vôo estavam entre mim e Guarulhos/SP, corri na Livraria e comprei uma revista Rolling Stones: já tinha companhia.