segunda-feira, 22 de setembro de 2008

União homoafetiva socialmente assumida na UFPB

Cabeleleiro e sanfoneiro paraibanos casam na Faculdade de Direito

Um "selinho", beijo em que apenas os lábios se tocam leve e ligeiramente, e um beijo na testa, desses que mais demonstram amor filial, selaram de verdade na noite deste sábado a primeira união homoafetiva socialmente assumida por um casal gay na Paraíba.


A cerimônia aconteceu na Faculdade de Direito da UFPB, no centro de João Pessoa, onde o cabeleireiro Daniel Mondego e o sanfoneiro Edvaldo Brasil protagonizaram o primeiro casamento gay no Estado. O evento teve ampla cobertura da imprensa e a presença de bom número de curiosos, além de convidados.


O casamento de Daniel e Edvaldo teve apoio de diversas entidades e instituições da sociedade civil, todas articuladas pelo Mel - Movimento do Espírito Lilás, talvez a maior e mais ativa organização paraibana de defesa dos direitos de gays e outras pessoas com orientação sexual distinta dos padrões convencionais e conservadores.


Durante a cerimônia, Daniel declarou esperar que outras pessoas como ele e Edvaldo sigam o exemplo e também celebrem publicamente o compromisso de vida em comum. A expectativa é a de que os chamados casamentos gays sejam o mais rapidamente possível tão comuns quanto os casamentos heterossexuais.


O deferimento do pedido foi do Prof. Dr. Eduardo Rabenhorst (Diretor do Centro de Ciências Jurídicas da UFPB). O mesmo manteve sua coerência acadêmica e demonstrou mais uma vez seu aguçado senso jurídico.


Trata-se de uma mudança que não pode ser impedida, senão por posturas arbitrárias, embora sustentemos filosoficamente que mudança não signifique necessariamente progresso.


Parabéns para o filósofo paraibano e para os socialmente unidos.


Até o próximo post!

Um comentário:

  1. Dica: A grafia correta seria cabeleireiro. Só uma dica, muito interessante a matéria.

    ResponderExcluir