sexta-feira, 7 de setembro de 2007

Os universos (im)possíveis de Escher


Mauritius Cornelius Escher (1898-1972) deixou essa dimensão existencial quando nela eu adentrei, talvez por isso a continuidade de seu interesse plástico esteja em mim por esses já 35 anos de estada na matéria.


Este holandês trocou a Arquitetura pelas Artes Plásticas, e nestas desenvolveu uma técnica de reprodução de cópias múltiplas, utilizando-se de pedra, madeira e metal como repositório de suas inspirações.


Nos anos trinta (1935) residiu em Granada, onde os arabescos geométricos do Castelo de Alhambra colonizaram por completo seu olhar e seu senso estético. Tais memórias foram logo assimiladas ao já existente conhecimento matemático, produzindo um estilo peculiar de retratar as mesmas, condensado na seguinte frase: "a vida só pode ser percebida pelos contrastes".


Tal expressão artística foi retratada pela Psicologia da Gestalt como sendo "a lei da figura-fundo", onde o contraste de luz e sombra, concretrizado em gravuras como síntese e antítese, levou a consciência a focar as figuras iguais em primeiro plano, enviando as figuras contrárias ao plano segundo (subliminar), dando vida assim a um caleidoscópio que vai do imaginário possível ao impossível, gerando desta forma um turbilhão mental de ilusões de óticas que interprenetam variadas versões de mundo, que em seu conjunto põem em cheque as leis físicas de sua época.


Usando o racionalismo ao seu favor, questiona-o, introduzindo no interior do logicamente possível paradoxos ocultos na forma de enígmas oculares. Em suma, este artista era um "escritor" peculiar que criava com tinta textos perceptíveis à visão, ou seja, produzia "gritantemente!" um discurso "silensioso" esclusivo para olhos bem abertos.


Apreciemos ou escutemos sua obra? A resposta pouco importa, quando o que interessa aqui é sentí-la!

2 comentários:

  1. Olá Professor, aqui é Diogenes lá da ASCES estou deixando esse comentário para o senhor conhecer o nosso blog sobre direito www.pretorium.blog.br que apesar de novo pretende crescer a medida que passe o tempo. Dá uma passada ok ? Valeu!

    ResponderExcluir