segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Ficha suja vira Ficha limpa pois tudo termina em pizza na terra da feijoada

Cassio Cunha Lima, Senador eleito pelo PSDB-PB, foi impossibilitado de tomar posse por decisão do TSE devido ao mandato cassado em 2008 por abuso de poder, ou seja, por ter a “ficha suja”.

Nessa terça-feira, 08 de novembro de 2011, o mesmo deve tomar posse como Senador da República, por decisão do STF que justificou a decisão com base no argumento da impossibilidade jurídica de incidência da “lei da ficha limpa” ao pleito de 2010.

Procurado pela impressa, o Senador “ficha suja” afirmou que a culpa pelo constrangimento que sofreu foi do Congresso Nacional que possibilitou - por meio de uma “lei inconstitucional” - que a vontade do judiciário fosse superior a vontade do eleitor.

Resumo da ópera: Como no Brasil ser ficha suja ou ficha limpa depende de decisão judicial e juiz não é eleito, cabe sempre argumentar que a vontade das urnas encobre uma multidão de pecados para que tudo termine em pizza na terra da feijoada!

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

O primeiro artigo publicado na Europa nunca será esquecido

Em parceria com meu querido amigo ADILSON FERRAZ produzimos um artigo em inglês relacionando biotecnologia, decisão jurídica e conceitos de Arendt. 



Hoje recebemos a maravilhosa notícia que o mesmo foi aceito e publicado na REVISTA BIOÈTICA & DEBAT vinculada ao INSTITUT BORJA DE BIOÈTICA.

Para os interessados segue o link do artigo para que sua temática seja objeto de reflexões e debates frutíferos.

http://www.bioetica-debat.org/modules/news/article.php?storyid=466

Bons estudos!


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Biquini Cavadão e Plebe Rude em Caruaru: rock entre sertanejo e vaquejada

Caruaru Rock Festival 2011
Local: Espaço Cultural Tancredo Neves
Cidade: Caruaru - PE
Hora: 22h
Atrações: Plebe Rude e Biquini Cavadão
Final de semana concorrido: entre eventos de sertanejo em Caruaru e de axé/forró em Bezerros, um show de rock com casa cheia foi melhor do que se podia imaginar.
Definitivamente o Espaço Cultural não é o local mais adequado para eventos musicais: possui teto baixo, o que prejudica a iluminação; possio pilastras de sustentação centrais, o que é terrível para o público que fica com a vista do palco seriamente prejudicada; como era uma antiga fábrica, não tem acústica adequada para esse fim; os banheiros são químicos e a localização não é boa; o serviço de bar é improvisado e precário; o estacionamento é amplo, mas o preço do mesmo em relação aos ingressos é abusivo. Em suma: deve-se pensar seriamente em outro espaço urgentemente.
Como já era de se esperar em show no Brasil, o evento começou com atraso. A banda de abertura não somou quanto ao repertório, mas, incrivelmente, se saiu muito bem em relação ao tato com a platéia, pois o repertório desconhecido e longo de ska não ajudava em nada.
A PLEBE RUDE entrou no palco com um grande desafio: público formado fortemente por uma geração que desconhecia o histórico da banda e a falta de hits radiofônicos no repertório. Mas o que faltava foi suprido com energia e carisma. Destaque para a guitarra absurdamente alta do vocalista, a participação no line up de Clemente (Inocentes) e a caminhada pelo público do front man Felipe Seabra. Adorei o show e cantei bastante, já que conheço a banda desde os anos 80 e já os vi ao vivo algumas vezes antes dessa.
O BIQUINI CAVADÃO deu as caras com o público ganho e com um repertório repleto de hits na manga, assim, mesmo as músicas desconhecidas não diminuiram a temperatura do local. Destaque para a energia contagiante do vocalista Bruno Golveia que não parava de ativar o público subindo na estrutura da iluminação, surfando sobre o público e trazendo fãs ao palco. Mesmo a tentativa de furto de seu tênis em meio à turba apaixonada foi contornada com maestria. Amei o show, assim como todos os outros que já vi da banda, sempre completa e entregue ao som poderoso que produz.
Retornei às 4h da manhã com satisfação plena de ter curtido muito bom rock n roll!

domingo, 21 de agosto de 2011

Não há universidade sem pesquisa

A Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE) alerta: embora sua resolução nº 03 determine como pré-requisito para as Universidades brasileiras o número mínimo de três  cursos de mestrados e um curso de doutorado, 67 das 184 IES a descumprem e 15 dessas não possuem nenhum curso de mestrado ou doutorado em funcionamento.
 
O mais grave é que essas IES em descompasso com a resolução supra não poderiam ser sequer chamadas de Universidades, pois não existe tal denominação na ausência de um Centro de Pesquisa, o que demonstra o grau de descaso qualitativo do ensino superior no Brasil.
 
Fonte: Jornal do Comércio. Brasil 13. 21/08/2011.